Guaranis, atores santo-angelenses e bailarinos da UFSM protagonizam o espetáculo Ângelus

Share on facebook
Share on whatsapp

Através de um convênio entre a Administração Municipal de Santo Ângelo e a Universidade Federal de Santa Maria, ações artísticas e pedagógicas estão sendo desenvolvidas com atores santo-angelenses, da Cia. Actuare, e jovens da aldeia Guarani Tekoá Yakã Ju. Estes artistas locais protagonizarão o espetáculo Ângelus junto dos bailarinos do Curso de Dança-Licenciatura da UFSM, nos dias 14 (20h30) e 15 (21h30) de dezembro, no Centro Histórico – Catedral de Santo Ângelo, na programação do Natal Cidade dos Anjos.

Na aldeia Guarani – ensaios

Criado em 2006, por ocasião dos 300 Anos da Redução de Santo Ângelo Custódio, o espetáculo Ângelus foi escrito pelo professor Odailso Berté e revisado por Dom Estanislau Amadeu Kreutz e pelas professoras/historiadoras Claudete Boff e Nadir Damiani, estudiosos da história missioneira. O espetáculo recria, através da dança e do teatro, a história da sétima, e também a trigésima, cidade missioneira, Santo Ângelo Custódio. A arte produzida nesta redução aludia ao seu padroeiro – o Anjo da Guarda  –  através das asas que eram talhadas pelos Guarani em todos os santos que esculpiam, e também o teatro jesuítico, que encenava batalhas entre anjos e demônios, com objetivo catequético, foram os elementos pesquisados e que deram origem à narrativa da referida obra.

Protagonismo Guarani

            À exemplo do espetáculo Som e Luz, de São Miguel, o espetáculo Ângelus instaura, no Centro Histórico de Santo Ângelo, um monumental diálogo cênico entre a arquitetura da Catedral, a planta da antiga redução, a dança e o teatro, recriando elementos históricos em diálogo com a contemporaneidade para recontar a vida, morte e reconstrução da cidade. A Catedral Angelopolitana é cenário, protagonista e símbolo, um patrimônio cultural habitável que condensa e atualiza as marcas da história no cotidiano da comunidade santo-angelense e dos turistas que a visitam. O espetáculo Ângelus tem direção geral de Odailso Berté, coreografia de Mônica Borba, Crystian Castro e Odailso Berté, e direção de interpretação de Douglas Barbosa e Odailso Berté. A realização desta nova edição do espetáculo Ângelus, treze anos depois de sua primeira apresentação pela extinta Cia. Sarx de Teatro-dança, se dá através de um trabalho conjunto entre a Administração Municipal de Santo Ângelo e a Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), com intervenção da Fundação de Apoio à Tecnologia e Ciência (FATEC), apoio da Pró-Reitoria de Extensão e Centro de Educação Física e Desportos da UFSM, e da Paróquia Anjo da Guarda.